1. ART WORK
START BY WATCHING SOME IMAGES OF RUI VALERIO ART WORKS IN THIS SLIDESHOW IN RANDOM ORDER





1.1.1. INTRODUÇÃO

Rui Valério produz arte e expõe com regularudade desde 1997. No seu trabalho artístico o cruzamento com o universo da música e a utilização do som (audível ou sugerido) e ainda o questionamento da relação entre cópia e original por intermédio do recurso a operações de apropriação são algumas das características mais evidentes da obra que tem desenvolvido. A condição de instalação, a luz, o vídeo, a pintura, a escultura e o movimento são meios frequentemente explorados para desenvolver uma obra que procura um cruzamento entre as tradições das artes visuais e da música contemporânea combinadas com referências à cultura popular e experiências autobiográficas.



1.1.2. CARACTERIZAÇÃO DA PRÁTICA ARTÍSTICA

Usando diversos media, Rui Valério procura estabelecer relações entre música e arte ou entre a imagem e o som, frequentemente, usando objectos com um significado prévio e contextual. O continuado interesse no som pode resultar numa presença audível ou sugerida e relaciona-se com a influência e seu interesse pessoal por música. Mas é na permanência do uso das operações de apropriação, no ‘uso das formas’ e representação de ‘objectos’ com ‘valor cultural’ (alterados ou combinados), estrategicamente seleccionados, que, quase sempre, encontra o processo de construção da sua obra - por ligações entre um passado, principalmente no período contemporâneo da história da arte e um questionamento do momento presente e da sua conjuntura actual. De forma idêntica interessa-lhe o cruzamento entre a cultura erudita e a popular. Recorrentemente, os períodos históricos do minimalismo e arte conceptual são recuperados tanto por identificação de uma filiação, como por razões mais específicas, amiúde, peças deste período são invocadas ou replicadas. Estas operações de apropriação e combinação interdisciplinar, servem-lhe para criar novas peças, com um potencial de comunicação que é ‘intencional' mas abre ou convida o espectador, a um processo de interpretação e pensamento. Ocasionalmente, essa intencionalidade, é da ordem da pura afectação perceptiva ou da possibilidade de contemplação formal. Ciente das possibilidades de interpretação e apreciação, por parte do espectador, variar de acordo com o reconhecimento das referências históricas em questão, nas peças tem de permanecer uma eficácia, que surja, apenas, duma apreciação espontânea e desinformada. As relações com experiências autobiográficas, apesar de nem sempre serem explicitadas nas suas peças, são constantemente um elemento de desvio ou evolução de interesses na sua obra. A este facto acrescente-se uma atitude de busca e experimentação constantes, assim como um uso diversificado de materiais e soluções formais. Do conjunto destes factores resulta um corpo de trabalho que não procura um reconhecimento autoral através de uma fórmula identitária comum, pelo contrário, os aparentes desvios, consolidam-se enquanto percurso - uma linha temporal da obra, que se desenvolve com a regularidade pela sua produção, e encontra no todo a sua unidade, e, em cada parcela, um fragmento da sua identidade.




/NEXT︎︎︎


 GO TO RUI VALÉRIO’S WEB SITE HOMEPAGE ︎  

OR IF YOU RATHER TALK TO HIM THAN TRY ONE OF THESE:

rruuiivvaalleerriioo@gmail.com
 
+351 96 621 77 94


︎